Gen Theophilo fala sobre AMAZONLOG 2017 para Tecnologia & Defesa

Na edição nº 149 da revista Tecnologia e Defesa o Gen Theophilo, Comandante Logísitico do Exército Brasileiro, fala sobre o exercício AmazonLog 2017, que será realizado no Estado do Amazonas (AM). Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Uma das organizações mais relevantes por suas atribuições dentro do organograma do Exército Brasileiro, o Comando Logístico (CoLog) foi ativado em dezembro de 2008, a partir da transformação do então Departamento Logístico. Ao CoLog cabe orientar e coordenar o apoio logístico ao preparo e emprego da Força; prever e prover as necessidades em termos de suprimentos, manutenção e transporte, os recursos e serviços demandados para o cumprimento das missões e mobilizações; e coordenar as atividades de fiscalização de produtos cujo controle cabe ao Exército, além daquilo que se refere a remonta e veterinária. Dessa forma, o CoLog, como órgão central do Sistema Logístico do Exército, atua através de suas Diretorias (Material; Abastecimento; Material de Aviação; e Fiscalização de Produtos Controlados) e de um braço operacional que é a Base de Apoio Logístico do Exército, sediada no Rio de Janeiro (RJ), à qual subordinam-se cinco outras organizações militares que trabalham em prol do Exército como um todo, inclusive em assuntos como desembaraço alfandegário em importação ou exportação de material de interesse da Força Terrestre. Atualmente sob o comando do general-de-exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, o CoLog prepara um dos maiores exercícios, tanto em vulto quanto em características especiais, a acontecer nas Américas, o AmazonLog/2017, formulado dentro dos mais modernos conceitos de emprego militar e ambiente interagências contemporâneo. Para saber um pouco mais sobre isso, Tecnologia & Defesa conversou com o general Theophilo, principal autoridade do exercício.

Tecnologia & Defesa – General, o que vem a ser o AmazonLog?

General-de-Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira – O AmazonLog é um exercício logístico que acontecerá na Região Amazônica, mais especificamente na cidade de Tabatinga (AM), tríplice fronteira entre Brasil, Peru e Colômbia. O objetivo é capacitar as Forças Armadas, assim como órgãos e agências, a atuar em regiões de difícil acesso, desenvolvendo estratégias logísticas adequadas. Além disso, oferecer ajuda humanitária e fomentar um debate científico acerca de temas como desenvolvimento tecnológico, meio ambiente e estratégias de defesa.

T&D – Quando será realizado e quais serão os participantes?

General Theophilo – O exercício será conduzido no período de 6 a 13 de novembro de 2017 e já possui presença confirmada das Forças Armadas brasileiras, dos Exércitos dos Estados Unidos, Equador, Colômbia e Peru, assim como de diversos órgãos de segurança pública, agências reguladoras e observadores de todos os países sul-americanos, além da China, Rússia, Canadá, dentre outros. Já a escolha da cidade de Tabatinga deu-se graças às suas peculiaridades geográfica e hidrográfica, além de ser uma região que representa fielmente as características amazônicas: chuvas frequentes, difícil acesso, vegetação densa, acesso limitado a sua bacia fluvial e outras, ficando estrategicamente localizada em uma região de fronteira que enfrenta desafios como tráfico de drogas, contrabando da fauna e flora, isolamento e difícil fiscalização.

T&D – Como surgiu a ideia do exercício?

General Theophilo – O AmazonLog foi inspirado no Exercício Logístico “Capable Logistician- 2015”, conduzido por países que integram a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), na Hungria. Naquela ocasião, foi desdobrada uma base logística multinacional com a presença de diversos países, todos atuando de acordo com padrões estabelecidos previamente e em classes logísticas bem definidas, tais como purificação de água, fornecimento de combustíveis, energia e outras. No quesito ajuda humanitária, o objetivo foi apoiar africanos e asiáticos refugiados que buscavam ajuda na Europa. Os militares brasileiros envolvidos participaram como observadores na Hungria e trouxeram a experiência para o Brasil. E foi por estar ciente dos desafios da Amazônia e da importância dela para o País que o Comando Logístico, através do seu comandante, está à frente do AmazonLog, que será um exercício similar mas adaptado à realidade brasileira.

T&D – Dessa forma, então, e dentro da nova realidade de cooperação não só interagências mas também multinacional, foram convidados outros países?

General Theophilo – Além dos Exércitos dos Estados Unidos, Colômbia e Peru, outros países foram convidados e enviarão representantes. No quesito agências, estarão presentes: o Departamento de Polícia Federal, a Infraero, o IBAMA, a Secretaria da Receita Federal, a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, o Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos do Ministério das Relações Exteriores, a FUNAI, a ANVISA, a FUNASA, o VIGIAGRO e o Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio). Dentro do próprio Exército Brasileiro, o Comando Militar da Amazônia (CMA) aparece como importante parceiro, uma vez que abrange a região da Operação América Unida/ Exercício AmazonLog 17, que tem como área de responsabilidade os Estados do Amazonas, Rondônia, Acre e Roraima, que fazem fronteira com Peru, Colômbia, Venezuela e Bolívia. O CMA receberá tropas e meios dos países amigos participantes do evento, além de oferecer a maior parcela de contribuição para o planejamento e execução das ações previstas. Isso inclui não só os recursos próprios, mas a experiência para operar na área, aliada ao relacionamento com autoridades e agências com os quais compartilha a defesa da Amazônia. Toda essa gama de conhecimento será utilizada para a realização do AmazonLog 17, o que facilitará sobremaneira o sucesso do exercício, uma vez que o CMA, com sede em Manaus (AM), possui treinamento, meios e efetivos para ser o grande apoiador do exercício logístico. Dentro do CMA, o Centro de Operações (COp) tem participado ativamente do planejamento em todos os níveis, tudo isso em cooperação com a base em Brasília (DF) e seguindo todas as diretrizes traçadas. Além do CMA, estarão envolvidas tropas e meios da 12ª Região Militar, 16ª Brigada de Infantaria de Selva, 2º Grupamento de Engenharia, 1º Batalhão de Comunicações de Selva, 4º Centro de Telemática do Exército, 7º Batalhão de Polícia do Exército, dentre outras. Ainda dentro das unidades do Exército Brasileiro, é importante frisar a participação do Comando de Operações Terrestres (COTER) e da Base de Apoio Logístico do Exército (Ba Ap Log Ex). O COTER participa do Grupo de Trabalho (GT) de planejamento do exercício nos níveis político e estratégico, ao contemplar o emprego de meios através da elaboração de uma Diretriz de Planejamento Operacional Militar, da qual derivou a Diretriz do COLOG. Já a Ba Ap Log Ex terá seu comandante à frente da Base Logística Multinacional, unidade responsável por deslocar de várias regiões do País para Tabatinga os meios necessários à instalação e operação de Unidades Logísticas Multinacionais Integradas (ULMI), que apoiarão as tropas e agências estacionadas no cumprimento de tarefas de logística humanitária e operacionais.

T&D – O que se pode esperar do AmazonLog?

General Theophilo – Como regra geral, um exercício de logística multinacional nesses moldes busca integração, treinamento, desenvolvimento de estratégias logísticas, dentre outros. Assim, espera-se que entre os dias de sua realização seja possível treinar o Sistema Logístico para apoiar civis e efetivos militares empregados em regiões remotas e desassistidas, como costuma acontecer em operações de paz e ajuda humanitária. Também será realizada a fiscalização de produtos controlados, assim como um teste da atividade logística de transporte e suprimento para a Amazônia, respeitando suas peculiaridades e aprendendo com a realidade local. Paralelamente, será possível abrir espaço para que empresas demonstrem seus produtos, quer em exposição, quer em utilização operacional, principalmente aqueles que trabalham na linha de preservação ambiental e suas consequências. 35 já confirmaram presença em Tabatinga, agregando conhecimento e tecnologia. Para a área acadêmica, será realizado de 26 a 28 de setembro, em Manaus, um Simpósio de Logística Humanitária (SILOGEM) para debater temas ligados à Região Amazônica, apresentação de estudos e discussões nessa linha, além de uma exposição de material de emprego militar. Mais de 55 empresas já realizaram inscrição para o evento. Em termos de manutenção, será a oportunidade de empregar material Classe VI, que diz respeito a geradores, embarcações (motores de popa) e outros tipicamente usados ou severamente afetados em regiões amazônicas, principalmente em operações. E quanto à cooperação, estreitar laços com agências tradicionalmente nossas parceiras, mais a interoperabilidade com Exércitos dos países que fazem fronteira com o Brasil, adestrando seus militares para atuação em situações de catástrofe ou em outros procedimentos que demandem uma logística específica.

T&D – E, para algo dessa magnitude, qual será a estrutura montada?

General Theophilo – Será criado um Estado-Maior Combinado, uma Direção do Exercício, tropas, agências e Unidades Logísticas Multinacionais Integradas. Todos os países participantes, assim como as agências parceiras integrarão um módulo e contribuirão nas diversas etapas do exercício, desde a fiscalização a até purificação de água e armazenamento, Engenharia, hospitais de campanha que estarão disponíveis para civis da região, além de geração de energia limpa e todas as outras demandas existentes. Toda a infraestrutura será desdobrada no 8º Batalhão de Infantaria de Selva e no aeroporto internacional de Tabatinga, que começará a receber os materiais ainda em setembro, quando terá início o deslocamento fluvial dos mesmos.
Esse exercício se desenvolverá ao final desse ano e é inédito no âmbito da América do Sul. Vamos montar uma base logística multinacional com os diversos países que compõem a Organização dos Estados Americanos (OEA), que estão sendo convidados a participar com tropas e equipamentos, tendo em vista uma possível ajuda humanitária no que se refere a grandes acidentes, a existência de refugiados vindos de outros países e o atendimento a própria população carente do Estado do Amazonas. Vamos testar também a nova logística militar terrestre que está dentro dos objetivos estratégicos do Exército Brasileiro. Uma logística difícil no complexo Amazonas. Tudo isso alinhado com as diretrizes do comandante do Exército, do Ministério da Defesa, do Ministério das Relações Exteriores e de outros envolvidos. Será a oportunidade de aumentarmos a fiscalização na região e criarmos uma doutrina de emprego para combater os crimes que afetam a região. Reconheço que será um desafio, mas contamos com a colaboração de todos os envolvidos. Após a conclusão do exercício em Tabatinga, a intenção é que a cada dois anos ele se repita em algum país sul-americano, o que proporcionará o aperfeiçoamento dos sistemas logísticos e a criação de uma doutrina específica de emprego na região.

A revista Tecnologia e Defesa é a publicação oficial da AMAZONLOG 2017. Para saber mais informações sobre o exercício, acesse: amazonlog.net

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s